Revista de Estudos Criminais

Quebra-cabeças – sobre epistemologia, criminologia crítica e (verdadeira) ruptura de paradigmas

Gabriel Antinolfi Divan.

Resumo: O presente trabalho visa estabelecer alguns pontos iniciais de debate para uma discussão epistemológica da Criminologia, a partir da indagação sobre sua (im)possibilidade de se caracterizar enquanto reunião sistemática de saberes díspares. Uma verdadeira perspectiva transdisciplinar se impõe, acima de tudo, como frente de superação das lógicas enraizadas no modelo moderno de completude meta-narrativa: tanto o discurso dominante quanto as correntes críticas que até hoje ganharam vazão terminam por se igualar no porte de uma teleologia dramático-redentora e um determinismo analítico diante do fenômeno criminal. A dificuldade na busca de meios plausíveis para sistematizar essa transdisciplinaridade, contudo, a enfraquece epistemologicamente e tende a lançá-la em um vácuo discursivo.

Palavras-chave: Criminologia crítica; epistemologia; sistema; alteridade; paradigma científico.

v.8, n.29, p.141-151